Páginas

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

De olhos fechados






De olhos fechados sinto minha pele arrepiar
ao som sincero e delicado de tuas palavras atraentes.
A cor dela muda e logo começa a corar
deixando à vista esse sentimento veemente.

De olhos fechados sinto tua presença
olhando-me de longe, sonhando...
E andas até mim, manso, sem descrença,
Tenho certeza de que és tu, me amando.

De olhos fechados continuas me fazendo crer
que o amor teu por mim é grandioso.
Fazes tanto aumentar o meu querer,
toma-me nas mãos por demais de carinhoso.

De olhos fechados,deixo-me envolver
pelo teu calor descomunal,
Faço todo dúvida esvaercer
e gozaremos deste nosso amor celestial. 
 


sábado, 4 de agosto de 2012

Desescrevendo



Estava desescrevendo sua história
Aliás, a sua e a dela, que era a mesma.
Fez menção de ir embora,
Mas de nada tinha certeza.


Se fez, então mudo, calado
Como silêncio de quem espera
Espera mansa do amado
de tê-la de novo, quem dera...

Com o amor batendo à porta,
ela já sem esperança,
abriu o sorriso mais belo
e tudo voltou à lembrança.


Do olhar lacrimejante
Surgiu fascinante brilho,
A sua história até aí, finda
reviveu estonteante e linda.