Páginas

quarta-feira, 2 de maio de 2012

À ti, o meu carinho.

Tu fizeste o riso correr solto 
             em minha boca delicada.
                  O brilho do meu olhar traduzia
                          a voz falha que não se fazia necessária.
                                Tu mantinhas minha atenção e
                        tudo em volta era nada.
              A entrega fora inteira,
      não éramos dois mais...
Um só cabia em nós.
              Fizeste habitar em mim
                  o sentimento dos sábios 
                        e o pesar dos desiludidos.
Ah! a desilusão...
            Diante de tua aparição
        fora embora.
E tu preencheste o lugar que
             antes era dela.
              à ti , o meu carinho.

4 comentários:

  1. Esse foi um dos melhores, dos mais lindos, de alma, de sentir, coisa que eu tanto gosto. Parece que as tuas palavras se encaixam umas nas outras por querer, se completam e sabem disso. Sou suspeita a falar não, porque sinto o que tu escreves!!

    ***
    Beijoo'os
    Teamo.

    ResponderExcluir
  2. A beleza do poema encontra-se na entrelinha do sentimento.
    E os seus versos trazem essas belezas.

    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Não sou um fan de poemas. As vezes nem me dou ao trabalho de lê-los. Alguns me chamam a atenção e só reconheço como bons poetas aqueles que conseguem me tocar a cada linha. Você é uma boa poetisa. Isso é tudo.

    Abraços.
    Iago Marcell.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Vanessa, bom dia!!
    Que poema maravilhoso! Sem dúvida, essa presença que lançou para longe a desilusão, a solidão e todo o seu séquito, é uma presença entressonhada, uma presença única! Mas... Percebo que os verbos estão no famoso pretérito perfeito... Ou, da maneira pop, no passado... Então.... Apesar do carinho, será que teremos reviravolta à vista, solidão de volta?! Não percamos o próximo capítulo...
    Amei
    Beijo carinhoso
    Doces sonhos, princesa.
    Lello

    ResponderExcluir