Páginas

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Te desvendar

Procuro imaginar, amigo,
o que passa pela tua cabeça
para mostrar-me 
apenas teu mistério.
E penso:
Qual teu segredo,
tua verdadeira intenção?
Tu, tão incerto, indeciso 
me desarmas
e me deixa na palma 
de tua mão.
Diz-me qual tua fraqueza,
teu 'calcanhar de Aquiles'
Me deixa te ler, te desvendar
e farei de nós dois 
o amor em palavras 
de um livro bonito.
Te digo, minha fortaleza
és tu, e só.
Então vem.
Fica perto.

5 comentários:

  1. Adorei seu poema, ler pensamentos realmente não é uma má ideia... Beijo.

    ResponderExcluir
  2. "Tu, tão incerto, indeciso
    me desarmas
    e me deixa na palma
    de tua mão"

    liiinndo Vanessa, gostei mto.
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Uau! ADorei o poema! FIcou simplesmente maravilhoso!

    ResponderExcluir
  4. Tu sempre escreves as coisas mais lindas. Amo muito**
    Beijoo'o

    ResponderExcluir
  5. Maravilhoso!
    Escreveste da forma mais linda o que não me atrevo a dizer (:

    ResponderExcluir