Páginas

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Carta

Daniel do meu coração. Com estás?
Sinto tua falta e por isso escrevo. Nossas idas e vindas viraram rotina até que houve a última ida e nenhuma vinda mais. Entristeci-me ao notar que não haveria mais nós dois, ou eu e você. Apenas eu e apenas você. Como isso me fez mal. Não, não se orgulhe por isso. Sei que você também sentiu minha falta, eu sei. Nem que tenha sido  quando chegava cansado e queria uma xícara de café e uma massagem. Sei que sim. Mas isso não importa agora. Escrevo estas tão apressadas e sufocadas linhas pra dizer que você não fará sentido para mim qualquer dia, que não ficarei feliz em te ver mas se passarmos pelo outro na rua, farei de conta que nunca te quis ao meu lado. Você vai ver  o contrário nos meus olhos, mas mesmo assim serei forte e olharei para o outro lado.
Daniel, você é idiota e tolo. Idiota e tolo. Nunca mais faça o que você fez comigo. Nunca mais se engane, ou vai morrer seco.
Daniel, por favor, esqueça as minhas ofensas e diga ao pé de meu ouvido que isso que sinto e dói vai passar agora mesmo ou até daqui a dois minutos.
Não aguento mais dar foras em garotos bonitos, altos e sensuais por ter medo de falar seu nome ao invés dos deles.
Daniel, faça-me um favor:
vá embora, me esqueça, me mate dentro de você e só assim vou poder viver feliz aqui fora.

Da que foi tua....

Nenhum comentário:

Postar um comentário