Páginas

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

A falta...

O que mais quero agora é sossego
 nada tão cedo de dor compartilhada,
nem amores complexos,
nem situações perigosas...

Quero é ficar em paz,
sem ter que correr atrás
da paz que talvez perdesse
se não a quisesse de verdade.

Chega de redoma e muros altos
que impedem que meu olhar
encontre muito mais
que a visão de um palmo a frente.

E se nada do que eu quero
for de verdade verdade,
que a falta de tudo isso
seja maior que a vontade
e me faça perceber
que a vida em nada muda
se mesmo querendo muito,
escolha não fazer nada.

Vanessa L.

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Um tanto triste. Mas busca essa paz e te esconde de redomas e muros altos, porque a vida muda muito, sim.
    >>> Eu te apoio.

    Um beijo

    ResponderExcluir
  3. Lindíssimo poema, Vanessa! De uma sensibilidade imensa, gostei muito... Às vezes, ficamos realmente intrigados quanto até que ponto queremos um sossego realmente genuíno... A vida apresenta desses paradoxos... Abraços!!!

    ResponderExcluir
  4. O que se quer, o que se tem, o que se é... Tentemos o máximo para que possamos viver do que nos basta de sorrisos.

    Beijos.

    ResponderExcluir