Páginas

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

A melhor parte

Uma menina andava pela calçada da rua todos os dias pela manhã..Adorava acordar bem cedo e correr para a janela  para ver o dia amanhecer. Depois corria para a rua. Ela sentia que a melhor parte do dia era a manhã. Pensava assim porque era a parte do dia em que as pessoas eram melhores (ou pelo menos se mostravam melhores). Não havia a necessidade de usar as suas máscaras favoritas tão cedo.
Ainda não tinham se entupido de fumaça (dos carros ou cigarros) de ar poluído, de pressa ou de estress.
Ela insistia com a ideia de que eram melhores porque o desalento, a falta de amor e de sensibilidade que lhes abalavam com o passar das horas ainda não as tinham encontrado pelas esquinas.
Ela olhava para os rostos das pessoas que andavam na rua, e sentia em alguns o brilho nos olhos por mais um dia para não cometer os mesmos erros  do dia anterior, noutros via a chateação por deixar em casa a família quando queriam ainda estar com ela.
Naquela tranquilidade da manhã podia até ler os pensamentos das pessoas.Ela não era especial, não era vidente nem tinha uma bola de cristal, era apenas uma menina.
Uma menina que, na pureza de sua idade conseguia enxergar o que a mente adulta entupetada de preocupações e neuras não conseguia.

Vanessa Lima

Um comentário:

  1. Bonito. Escrevi um texto falando de algo parecido há um tempo.

    Beijos.

    ResponderExcluir